Muitas vezes faz-se necessário a adição de alguns elementos químicos na fabricação do aço a fim de que seja melhorada alguma(s) de suas características.

Vale a pena informar que, a adição de dois ou mais elementos químicos não implica que o resultado obtido seja igual ao efeito de cada elemento isoladamente.

Vejamos a influência dos elementos químicos citados abaixo nas propriedades do aço:

 
Em quantidade não superior a 0,2%, reduz a temperatura de transição e aumenta a tenacidade. Em quantidades suficientemente grandes, o alumínio prejudica o acabamento superficial dos produtos laminados.

 
É o responsável pelo aumento da temperatura de transição, da resistência (e dureza) porém reduz a ductilidade, tenacidade e soldabilidade. As quantidades de carbono adicionadas no material devem então serem restritas ao máximo de 0,3 % ou em função das demais quantidades de outros elementos de forma a não manter o grau de soldabilidade de resistência desejados.

 
É muito eficaz na resistência a corrosão atmosférica, para quantidades até 0,35%. Aumenta o limite de resistência (fu) e a resistência a fadiga. Reduz a ductilidade, a tenacidade e a soldabilidade, porém em pequenas quantidades.

 
A adição de pequenas quantidades deste elemento acarreta acréscimos significativos no limite de escoamento (fy) e acréscimo em menores intensidades no limite de resistência (fu), embora apresente efeitos desfavoráveis em relação a ductilidade. Este elemento é quase que obrigatório na composição dos aços de alta resistência e baixa liga, pois permite uma redução nos teores de carbono e manganês, fornecendo uma melhor soldabilidade e tenacidade.

 
Melhora o comportamento a temperaturas de até 500 ºC, em comparação com o aço carbono. A adição também melhora sua resistência mecânica e resistência à corrosão atmosférica, porém reduz a soldabilidade do aço.

 
Assim como outros elementos químicos, a sua adição reduz a soldabilidade do aço. Também permite que o envelhecimento seja retardado e proporciona um aumento no limite de resistência (fu), na resistência à fadiga, na resistência a corrosão e na tenacidade do aço.

 
Melhora a soldabilidade e assim como o cobre, melhora o comportamento do aço quando sujeito à alta temperatura. Seu limite de escoamento, resistência à abrasão e resistência à abrasão também são aumentados.

 
Para adições de até 0,12 %, a soldabilidade e a tenacidade do aço não são prejudicadas e este elemento eleva a resistência à abrasão, o limite de resistência e a resistência à deformação lenta.

 
Eleva a resistência mecânica, a resistência à corrosão e a tenacidade, porém reduz a soldabilidade.

O comportamento de cada elemento químico na soldabilidade do aço é expressa em carbono equivalente, sendo que uma das expressões que relacionam a influência destes elementos esta indicada abaixo:

Outros elementos químicos e suas mudanças no comportamento do aço, pode ser encontrada na bibliografia.